sexta-feira, 28 de novembro de 2014

"Teus voos..."


Você pode ir e voltar quantas vezes quiser, o direito a livre arbítrio é para todos, assim como a decisão de "simplesmente ficar sentada esperando" também é uma escolha livre... Sabia que a decisão de ficar a espera de alguém, na maioria das vezes, é mais difícil do que a de quem decide partir? Ficar na incerteza se voltará, mesmo sentindo a dor de vê-lo partir cada vez para mais distante... Esperar na certeza incerta se voltará e na segurança insegurança do "porque voltará?" Se partiu é porque não quis ficar, se quisesse não teria ido... Esperar de mãos e pés atadas, sem poder fazer nada para trazê-lo de volta, e mesmo que pudesse, amor não se pode ter forçando, não se pode acorrentar, aprisionar, tão pouco implorar, pois amor não é esmola, que pedimos e alguém por compaixão nos dá, amor se conquista, é liberdade e ganhamos, amor verdadeiro tem que vir da alma... E isso gera ainda mais insegurança. Esperar com medo gélido, por deixá-lo livre para voar, sabendo que num desses vôos, poderás não voltar ou decidir pousar em outro ninho, chega a ser angustiante. E só de pensar nisso dói na alma... Porque optar por voar sozinho, se o voo a dois pode ser bem mais feliz? Porque fugir, quando tens tudo o que precisas aqui, para ser feliz? Você encara tudo e todos, vai a luta com garra e bravura, mas foge de mim e de você mesmo, dos teus sentimentos, e decides sozinho voar novamente, porque? Nessas suas idas e vindas, poderás ser surpreendido, porque apesar da sua total certeza de que sempre estarei aqui, estás ciente de que também tenho asas, e sei voar... Você pode ir e vir sempre, voar quando quiser, mas quero que saiba, que no dia em que eu decidir bater asas e voar, poderei não voltar mais. E isso pode doer amargamente em mim e em ti também, pode nos matar por dentro e até por fora, mas sabes bem que sou determinada, quando decido lutar vou até o fim, minha decisão é única! E que o fato de eu nunca ter voado, não significa que não sei voar, e sim que, mesmo eu podendo voar e pousar em qualquer outro ninho, eu decidi ficar e pousar no teu, podendo ter quem quiser, eu quero você, podendo estar nos braços de qualquer outro, decidi me guardar pra ti... Se eu decidi ficar aqui, sentada, a tua espera, é porque o amor que sinto por tu, pode ter certeza, é muito maior que meu orgulho, que minha vaidade, que meu egoísmo e até mesmo, muito maior que eu mesma... E todas as vezes que engoli o choro, me fiz forte e coloquei um sorriso no rosto, foi simplesmente para te ver feliz, para te ver voar em paz e sorrir feliz. Mas a dor que senti dentro da minha alma, só eu sei o quanto doeu.... E todas as vezes que dediquei meu tempo, a observar teus vôos, e até as vezes, em que me fiz de forte e te ajudei a pegar voo, impulsionei-te a voar na contra-mão das ventanias, eu fiz por amor, não foi porque queria que fostes embora, mas por te querer bem, por te querer livre, por te querer feliz, e se voar te faz feliz, prefiro te ter voando, do que te ter aprisionado triste e tudo isso, por te amar demais... E se até hoje, eu estive ao seu lado, pode ter certeza, que é porque tu me fez e me faz muito feliz, apesar das vezes que me entristeci com tuas idas e vindas, eu sou mais que feliz contigo, muito feliz mesmo... E se dói tanto te ver voar para longe, é porque sei o valor e a importância que tens em minha vida, só eu sei o quanto és especial, o quanto tu me faz bem e o quanto teu amor me completa. Porque contigo e só contigo, me sinto bem, me sinto inteira, segura, protegida, acolhida, e amada, pois só tu preenche todos os vazios do meu ser... Porque é no teu sorriso que me tu me faz sorrir, é contigo que tenho o riso mais sincero da alma. Quando estou entre uma multidão, me sinto sozinha e perdida, mas quando estou a sós contigo, não sinto falta de nada e nem de ninguém, sinto feliz. E é por isso e muito mais que te ver partir dói tanto em mim, porque é o mesmo que tirar o coração e dizer ao corpo que viva, não vai funcionar, e eu não funciono sem tu ao meu lado... Mas será que tu já parou para imaginar que também poderei voar? E que voando podemos nos desencontrar entre idas e vindas, e nos perder um do outro? Será que já se perguntou, porque sempre estou aqui? Se eu decidi ficar contigo, vou ficar contigo, faça chuva, sol, ventania ou tempestade... E é por isso que sempre estive aqui, em todas as tuas idas e vindas, te esperando pousar, depois de teus longos ou breves vôos, porque sou feliz assim, tuas chegadas, teus pousos, me fazem feliz, a mais feliz de todas as fêmeas... Mas não se espante, se algum dia, eu decidir voar. Se um dia, num desses teus voos, ao voltar, certo de me encontrar, de que estarei a tua espera de braços abertos, e se decepcionar, não me culpe... E então, sentirás a dor que senti, todas as vezes que te vi partir, além da certeza da ida e a amarga incerteza da volta, ficando apenas com as boas lembranças, nossos sonhos e a esperança de que um dia irás pousar ao meu lado e não querer voar mais... E por fim irás ter a convicta e absoluta certeza, de que muito te amei e amo, e que meu amor por ti, é muito maior do que um dia poderás imaginar, talvez nunca compreendas, nem entenda o quão grande e infinito é o amor que tenho por ti, capaz de perdoar qualquer erro, porque a felicidade de te ter ao meu lado, é muito maior que meu orgulho. Porquê amar também significa renunciar, ninguém vive sem cometer erros, ninguém torna um relacionamento duradouro sem  aprender o valor do perdão. Então valoriza enquanto estou aqui, não me obriga a voar, para te fazer ver o quanto eu te amo, o quanto me amas e o quanto necessitas de mim.. Mas desejo de toda a minha alma, que não esperes me ver voar, para descobrir, que meu amor por ti é verdadeiro, e que todas as vezes que voastes, tentando fugir de teus próprios sentimentos por mim, de nada adiantaram, porque só aumenta, foi mera perda de tempo, achar que se pode fugir desse amor. E que só quem é loucamente apaixonada, é capaz de esperar fielmente, em todos os sentidos (no sexo, pensamentos, palavras, promessas, segredos, sonhos, desejos...), tantas vezes, tantos voos, por um mesmo pouso, por um mesmo alguém...


*IRGA*




Autora: Daiane Vieira.
Música de Fundo: "Sozinho - Caetano Veloso"
Ilustração: Google Imagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário